Tratamentos - 2. Fonoaudiologia

A comunicação humana depende do desenvolvimento neuropsicomotor, social e intelectual de cada individuo. As crianças dentro do espectro do autismo podem apresentar falhas nesse processo comunicativo e enquanto algumas desenvolvem a linguagem verbal (fala) outras se comunicam utilizando linguagem não-verbal.

A fonoaudiologia pode ajudar nesse processo de desenvolvimento da linguagem. O primeiro passo é avaliar quais os recursos lingüísticos e comunicativos que são utilizados pela criança e com o uso destas, auxiliar no desenvolvimento das que apresentam falhas. Caso haja necessidade, pode-se utilizar métodos alternativos de comunicação como o PECS, que consiste no uso de troca de figuras, em que a criança aprende trocar o símbolo pelo objeto desejado. Por isso, a avaliação fonoaudiológica é importante para que se desenvolva um trabalho específico para cada criança, pois quanto mais cedo iniciar esse processo, maiores as chances de se obter em melhores resultados. Nesse processo não há o envolvimento somente da criança do espectro do autismo, mas sim de toda a família.

No Projeto Amplitude, as crianças recebem acompanhamento fonoaudiológico de duas a três horas semanais.